História do Brasil III

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Objetivos gerais do Curso:

 

Analisar a produção intelectual entre os anos 20 e 30, destacando o surgimento da museologia brasileira

Caracterizar Estado Brasileiro, após 1930, definindo suas diversas políticas

Dimensionar o papel da Igreja Católica, a partir dos anos 20 na organização da política brasileira.

Analisar os conceitos de Populismo e Desenvolvimentismo, identificando suas manifestações econômicas e culturais

Explicar o processo que levou ao colapso da República de 1945.

A guerra fria e os movimentos de esquerda no Brasil a partir de 1945

Analisar a natureza do regime instalado em 1964 e as razões de sua desagregação.

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Objetivos gerais do curso:​

Refletir sobre temas centrais do desenvolvimento das sociedades contemporâneas ocidentais a partir do século XVIII.

 

Programa

Modulo I : Emergência do mundo moderno. A "revolução copernicana". As reformas religiosas e suas conseqüências. A guerra do mundo das quantificações contra o mundo das qualificações. Elementos gerais da crise dos valores humanos na modernidade. Do Estado salvador de almas ao Estado defensor dos direitos. Desenvolvimento do pensamento iluminista: a crítica do império da subjetividade. Efeitos práticos do pensamento iluminista: o liberalismo e a revolução.  A guerra revolucionária de 1776 e a emergência dos EUA.. A Revolução Francesa como marco trágico. Napoleão e o colapso do “Antigo Regime” na Europa. Emancipação dos Judeus na Europa e a Guerra Civil Americana. A era das nacionalidades. Socialismo, comunismo e anarquismo nas revoluções do século XIX.  A Bele Epoque e a grande crise do liberalismo.

Módulo II: A primeira guerra mundial e o início da catástrofe. A revolução russa de 1917 e suas conseqüências trágicas. O período entreguerras: a crise de 1929 e o nazi-fascismo. Tensões políticas e sociais no período entreguerras: a guerra civil na Espanha e a reação da Igreja ao comunismo. A segunda guerra mundial e a culminância da catástrofe. O genocídio dos judeus na Europa. A ONU e a nova ordem internacional: o simultâneao triunfo do liberalismo e do socialismo e do legado iluminista. A ordem mundial contratual no pós-guerra.“A guerra fria”: pode haver solução para os paradoxos iluministas?. A derrota da União Soviética e o colapso dos regimes socialistas. Combates contemporâneos no campo dos valores. Em direção a uma nova grande crise?

Os alunos aprenderão sobre a natureza da espiritualidade contemporânea, sobre os grandes desafios que essa espiritualidade enfrenta num mundo de valores materiais e efêmeros, sobre todo movimento realizado para desqualificar a experiência espiritual e, principalmente, sobre os ataques que a Bíblia e a literatura sagrada sofrem neste mundo atual.

 

Aulas:

A Sociedade das Quantidades

A matemática para além da sensibilidade

​Valores não quantificáveis

Estado secular

A reforma religiosa

O desejo de buscar a salvação

Joseph Campbell e literatura sagrada

O significado da Bíblia

Teorias humanas e o olhar divino

Questão morais da sociedade contemporânea

O mistério do Ser

Estado Secular na Modernidade

Programa de Pós-graduação em História Política da Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Objetivos gerais do curso

 

1- Analisar o desenvolvimento do processo de secularização do Estado no Ocidente,. DImensionar os problemas morais na relação entre Religião e Estado no Ocidente.

2- Discutir a abordagem do tema no pensamento iluminista e os elementos básicos sobre o assunto contidos na plataforma secularizadora das democracias revolucionárias do século XVIII. Entender tipologias e antinomias do processo de construção do Estado de Direito diante das confissões religiosas. Analisar o problema do pluralismo moral.

3- Dimensionar a natureza dos conflitos entre seculares e religiosos no século XIX e XX, discutindo as diferentes perspectivas de solução dos problemas da relação entre objetividade e subjetividade, Razão e Fé, Homens e Deus,  na organização dos projetos e das praticas políticas no Ocidente. Dimensionar o problema das moralidades subjetiva e relativista no Ocidente.

História do Brasil II

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Objetivos gerais do curso:

 

Analisar  as origens da Independência. Discutir a organização e a consolidação do Estado Imperial.  Dimensionar 1822, 1831, 1840. Discutir as manutenções e transformações da sociedade. Analisar as origens e primeiros momentos da República.

Programa:

Módulo I: É possível estabelecer uma sociedade sem controle moral? A Expulsão da Companhia de Jesus e a consolidação de uma relação direta entre colonos e Estado. A absorção descontrolada dos índios na sociedade colonial.

 

Módulo II: As Inconfidências: dificuldades de experiências sociais de cunho moral. Deficiências na submissão de projetos particulares a projetos coletivos. Inabilidades políticas: desvarios políticos e as realidades sociais.

O que representou a vinda da família real portuguesa para o Brasil? A instalação de uma autoridade e de uma estrutura administrativa local e a perspectiva de uma transição política sem compromissos sociais maiores.

O estabelecimento de um autoridade moral sem elos morais coletivos entre agentes políticos e a negação da revolução. A independência: a convergência entre inação e ação. O papel de D. Pedro I e a centralidade do poder imperial, pessoal, e não público. O fracasso da constituinte e a carta de 1824.

 

Módulo III: O que foi a abdicação de D. Pedro I ? Foi a Regência um período de anarquia? Tendências fragmentadoras na sociedade brasileira. Transferencia das responsabilidades para a casa, para os interesses locais. A consolidação do predomínio do espaço privado, mas não a anarquia, nem a revolução. O Regresso, em 1840: a necessidade do poder central, para impedir a dissolução da sociedade. Ações conservadores e moralistas, por trás do golpe da maioridade. A restauração da sabedoria da constituição de 1824. Foi a Guerra do Paraguai um divisor de águas, na história do Brasil? A Guerra do Paraguai e as fragilidades da sociedade Imperial. A necessidade de instituições de forte moralidade e com espírito de coletividade. O problema do Exército pós guerra do Paraguai.

 

Módulo IV: A Abolição foi um movimento de opinião?  Problemas da aceitação da ascendência da moralidade coletiva em 1888 A história de um movimento de opinião que não se transforma em partido de opinião. O fim da escravidão e a perplexidade diante de uma sociedade amorfa. O Golpe de 1889: a moralidade do Exército e a amoralidade do sistema. Caráter corrompido das lideranças republicanas e as impotências do Exército.

Cafeicultores: particularismos e imoralidades sob um perfil monárquico do poder. Foi Canudos uma ação moralizadora? A consolidação das causas privadas e o retorno ao espírito regencial.

Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Objetivos gerais do curso:​

Discussão de tópicos ligados ao desenvolvimento da literatura védica e budista, das origens até a Idade Média, dos textos védicos até a consolidação da literatura purânica

Programa:

Módulo I- Elementos de epistemologia da experiência religiosa. O pensamento védico originário e as sociedades pós-urbanas no norte indiano. A religião védica. Os Vedas e seu mundo. Questões teóricas e filosóficas fundadoras e seu desenvolvimento nas Upanichades. Desenvolvimentos conceituais. Os conceitos de Atman e Brahman.

Módulo II- A segunda urbanização da Índia e as bases filosóficas do budismo. O budismo originário: elementos gerais. Desenvolvimento conceitual no Cânone Páli. Do Atman védico ao Anatman. História do budismo até os imperadores Ashoka e Kanishka. Desenvolvimento da iconografia budista e sua relação com a iconografia religiosa indiana. 

Unidade III- Nagarjuna e a teoria do vazio: dimensões. O budismo mahayana e sua natureza. Desenvolvimentos medievais do budismo. O pensamento védico e a gênese da literatura épica e mítica. As Puranas e o Mahabharata.

Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Objetivos gerais do curso:​

Discutir as relações entre História, tempo e religião, a partir de  uma abordagem histórica e filosófica. Analisar o desenvolvimento da secularização da ideia de história  e de tempo, em momentos centrais na consolidação do mundo moderno.

Módulo I: Sentidos da história antes da modernidade. Percepção do Tempo e da Eternidade em mundos antigos. O tema da história no pensamento judaico. O problema dos ciclos cósmicos no pensamento hindu. Passado, realidade e devaneio: mecanismos antigos de aproximação ao tempo. Tempo e transitoriedade no Budismo. O Mito do Eterno Retorno e o tema do Fim da História.

 

Módulo II: Emergência de História como disciplina. Os historiadores italianos e o tema do necessário afastamento de Deus para entender a história. A Revolução Copernicana e a superação da subjetividade em prol da objetividade, na Física e na História. Transformações no entendimento do passado a partir do Renascimento. Novamente o problema do tempo, seus sentidos ou ciclos: há algum? Um diálogo paradigmático: Gabriel Malagrida e o mistério do tempo contra Pombal e o império da natureza.

 

Módulo III: A questão da objetividade no conhecimento das ações humanas do passado. A parte em detrimento do todo desconhecido. Críticas fundadoras à subjetividade da história. O século XIX: a História como ciência e a História como doutrina. Comte e Hegel, a suposta descoberta da natureza íntima da História e seu destino. Marx e a redefinição do Fim da História: a tese que a História pode ser domínio do homem comum. O século XX e a tragédia da objetividade histórica: a surpreende realidade da existência: entre a visibilidade e a invisibilidade.

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Objetivos gerais do curso:​

Propiciar uma visão do desenvolvimento das sociedades do oriente próximo e do oriente na antiguidade.​ Focando especialmente nos elementos gerais da Revolução Neolíitca, Mesopotâmia, Israel e Índia.

Familiarizar os alunos com a análise de fontes primárias.

Programa:

Módulo I: A pré-história. Problemas relativos ao estudo da pré-história. O final da pré-história e a "revolução neolítica". Elementos formadores das sociedades humanas: religião, hierarquia, poder, aceitação. Transferência e usurpação de poderes. A Revolução Urbana. O surgimento da escrita e seu significado. Teorias sobre o surgimento do Estado.e elementos centrais da organização das comunidades do antigo oriente próximo. O significado dos mitos e seu papel estruturante maior.

 

Módulo II: O próximo oriente: A Mesopotâmia: linhagens intelectuais e políticas dos primeiros aglomerados urbanos. Os primeiros Estados da região e sua cultura. Valores existenciais da civilização mesopotâmica. Do mito à protofilosofia, e de volta ao Mito. O mundo das Leis e especulações antigas sobre suas origens.. Desenvolvimento da civilização judaica: das origens à monarquia. A questão da eleição na escravidão e o tema da redenção: implicações sociais e intelectuais no mundo antigo. Disputas em torno da Judéia até o período romano. Origem e desenvolvimento do texto bíblico. Particularidades da visão de mundo judaica. 

 

Módulo III Oriente: A civilização do Indo, suas origens e desenvolvimento. Origens dos Ários, especulações sobre sua cultura e filosofia. A "luz da Ásia": o universo religioso e filosófico védico na era da desurbanização. Os Vedas e as Upanichades.. Significado maior da Índia no Oriente. A civilização védica. A “segunda urbanização” da Índia (século VIII a.C.) e suas conseqüências. Transformações no pensamento védico. Estruturais sociais e mitos. A emergência do budismo. Significado do budismo na história do pensamento humano.  Influência da Índia no pensamento oriental e ocidental.

Objetivos gerais do curso:

Dimensionar a natureza infinita dos textos bíblicos e o mistério da sua permanente atualidade. Introduzir à questões de estrutura e narrativa bíblicas.

Programa:

 

Módulo I: Natureza da literatura bíblica. Suas particularidades narrativas.  A Bíblia, paradigma da literatura religiosa, ética e moral. Sua estrutura interna, em suas diversas formas: a Bíblia hebraica, a Bíblia grega, a Bíblia cristã. Elementos misteriosos de sua convergência temática e de sua profundidade espiritual.

 

Módulo II: Tentativas de desqualificar a Bíblia no mundo contemporâneo. O método histórico-crítico e suas intenções ocultas. A campanha geral contra a Bíblia, a partir do século XVIII. O significado dessa luta no decorrer da construção de uma sociedade sem valores.

 

Módulo III: A trama das traduções da Bíblia. O tema das línguas originais: hebraico, aramaico, grego. É a Bíblia, em si, uma tradução mística? A permanência dos sentidos e suas nuanças em diferentes idiomas: o mistério de sua contínua compreensão, nos idiomas e nos tempos.

 
Módulo IV: Livros legais e históricos. O Pentateuco e seu significado no universo dos textos bíblicos: o texto central. Dimensões legais, morais e éticas do Pentateuco.Os textos históricos e seu significado: a reflexão sobre a história e o tempo. O papel de Deus na história e na jornada dos homens. A sociedade, entre o caos e a redenção, na perspectiva bíblica.


Módulo V: Salmos e Livros sapienciais. Estrutura dos Salmos: estrutura,  amplitude e profundidade de temas. Os Salmos e a  natureza plural da existência. Os livros sapienciais, Provérbios, Eclesiastes, Cântico dos Cânticos (TanachSabedoria e Ben Sirac (Septuaginta). como reflexão subjetiva sobre as perspectivas e os problemas humanos. Contém os livros sapienciais um sistema?  Ou estão além dos sistemas?


Módulo 6:

Livros proféticos. A experiência profética e sua natureza: entre sonhos e vigílias. Conteúdo da literatura profética: temas morais, éticos e a experiência da Redenção. O universo dos seres humanos, seus pecados e transitoriedades. O futuro e a transcendência do Tempo e da história. O anúncio da eternidade e da harmonia.


Módulo 7:

O Livro de Daniel  e o destino dos homens: perspectivas apocalípticas e messiânicas. Outros textos do seu tempo, especialmente o Livro de Enoc . O Apocalipse de João, culminância de uma tradição.

Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Objetivos gerais do curso:

Discutir a gênese histórica dos textos proféticos e os elementos gerais de seu conteúdo religioso. Discutir sua importância no âmbito do desenvolvimento da Bíblia e da tradição judaica e cristã.

Programa:

Módulo I: Questões gerais relativas à experiência religiosa e à experiência religiosa bíblica. Epistemologia do fenômeno religioso. Origens do povo hebreu. Problemas de história do monoteísmo hebraico, segundo o Pentateuco. Os profetas e seu mundo. Natureza da experiiencia profética. Dos sonhos aos devaneios.

Módulo II: Qual a dimensão das influências externas no profetismo judaico?  Experiências étnicas e visões. Traços marcantes da escatologia e messianismo proféticos. O fim da história e a tragédia da história. Linhas de desenvolvimento do judaísmo profético, entre a reação ao poder, o Direito e a Redenção.  Universalismo e particularismo judaicos.  Alguns conceitos centrais: pecado, arrependimento, esperança e perdão.  O profetismo e o período do Segundo Templo..

Objetivos gerais do curso:

 

Analisar os momentos centrais da história do Brasil, dimensionando seu significado na construção da identidade brasileira.

Programa:

Módulo I: Natureza do processo de expansão européia. Processo de ocupação do litoral e atividades econômicas centrais. Problemas de ordem social e moral. Natureza dos problemas morais na Colônia. Questões de organização da ordem social e moral e conflitos internos entre jesuítas e colonos. É possível estabelecer uma sociedade sem controle moral? A Expulsão da Companhia de Jesus e a consolidação de uma relação direta entre colonos e Estado. A absorção descontrolada dos índios na sociedade colonial.

 

Módulo II: As Inconfidências: dificuldades de experiências sociais de cunho moral. Deficiências na submissão de projetos particulares a projetos coletivos. Inabilidades políticas: desvarios políticos e as realidades sociais.

O que representou a vinda da família real portuguesa para o Brasil? A instalação de uma autoridade e de uma estrutura administrativa local e a perspectiva de uma transição política sem compromissos sociais maiores.

O estabelecimento de um autoridade moral sem elos morais coletivos entre agentes políticos e a negação da revolução. A independência: a convergência entre inação e ação. O papel de D. Pedro I e a centralidade do poder imperial, pessoal, e não público. O fracasso da constituinte e a carta de 1824.

 

Módulo III: O que foi a abdicação de D. Pedro I ? Foi a Regência um período de anarquia? Tendências fragmentadoras na sociedade brasileira. Transferencia das responsabilidades para a casa, para os interesses locais. A consolidação do predomínio do espaço privado, mas não a anarquia, nem a revolução. O Regresso, em 1840: a necessidade do poder central, para impedir a dissolução da sociedade. Ações conservadores e moralistas, por trás do golpe da maioridade. A restauração da sabedoria da constituição de 1824. Foi a Guerra do Paraguai um divisor de águas, na história do Brasil? A Guerra do Paraguai e as fragilidades da sociedade Imperial. A necessidade de instituições de forte moralidade e com espírito de coletividade. O problema do Exército pós guerra do Paraguai.

 

Módulo IV: A Abolição foi um movimento de opinião?  Problemas da aceitação da ascendência da moralidade coletiva em 1888 A história de um movimento de opinião que não se transforma em partido de opinião. O fim da escravidão e a perplexidade diante de uma sociedade amorfa. O Golpe de 1889: a moralidade do Exército e a amoralidade do sistema. Caráter corrompido das lideranças republicanas e as impotências do Exército.

Cafeicultores: particularismos e imoralidades sob um perfil monárquico do poder. Foi Canudos uma ação moralizadora? A consolidação das causas privadas e o retorno ao espírito regencial.

Objetivos gerais do Curso:

Analisar as abordagens de John Locke (1632- 1704) e Montesquieu (Charles-Louis de Secondat, Barão de La Brède e de Montesquieu) (1689-1755) sobre a moralidade necessária para o funcionamento das sociedades democráticas.

Programa:

Módulo I: Elementos de Ética e Moral. A liberdade natural e a necessidade de um império moral, em John Locke. Limites à expansão das individualidades e a necessidade de compromissos na ordem democrática. Moral e propriedade privada.

Módulo II: A organização das repúblicas em Montesquieu. Diferenças entre Monarquia, Despotismo e República. O problema da virtude na ordem democrática. Repercussões do pensamento de Locke e Montesquieu na organização das sociedades democráticas a partir do século XVIII.

Please reload

  • parler
  • SoundCloud ícone social
  • Facebook ícone social
  • d499bf9074133db295373575066f97e4_1562267
  • academia_edited
  • YouTube Social  Icon
  • DR_IR_simbolo_final_c-05

© 2020 by Edgard Leite